Sábado, 18 de Janeiro de 2014

Moamba: Baleado mortalmente agente das Alfândegas

Um funcionário das Alfândegas de Moçambique, de nome Alves Manhiça, foi alvejado mortalmente, na manhã de ontem, na Estrada Nacional número Quatro (EN 4), quando tentava impedir um assalto a uma carrinha que transportava três mulheres.
Alves Manhiça perdeu a vida pouco depois das 6.00 horas, nas proximidades da Portagem da Moamba, distrito com o mesmo nome, quando se dirigia ao trabalho, na fronteira de Ressano Garcia.
Tudo aconteceu quando a vítima se apercebeu que estava a ocorrer um assalto na EN4 e imobilizou a sua viatura, cuja marca e chapa de inscrição não apuramos, para impedir a consumação do crime. Ao se aperceberem da presença de um agente das Alfândegas uniformizado, os assaltantes sacaram de uma arma e dispararam a queima-roupa contra o homem, que perdeu a vida no local.
Depois disso, os malfeitores, em número não especificado, introduziram-se na viatura do finado com a qual deixaram o local do crime para um lugar desconhecido.
Acredita-se que os assaltantes tenham disparado contra o funcionário das Alfândegas de Moçambique por suspeita de que estivesse armado.
O Coordenador do Projecto de Fronteira de Paragem Única, Daúde Daia, explicou que o finado se dirigia ao posto fronteiriço de Ressano Garcia, onde começaria a trabalhar às 8.00 horas.
“Ele vinha à fronteira e quando passou a portagem da Moamba aprecebeu-se que ocorria um assalto e parou apenas com a intenção de acudir as vítimas. Conseguiu evitar o assalto, mas infelizmente perdeu a vida”, lamentou Daia.
Afirmou ainda que não se conhecem as pessoas que estavam para serem assaltadas e a única informação que existe é que eram três cidadãs que seguiam em direcção a Ressano Garcia e que estas sairam ilesas.
“Geralmente ocorrem assaltos nesta via porque acredita-se que as pessoas que viajam para a África do Sul transportam consigo elevadas somas monetárias e este foi mais um caso que custou a vida a um nosso colega”, disse.
Por sua vez, o porta-voz do Comando provincial da Polícia da República de Moçambique (PRM), na província de Maputo, João Machava, afirmou que as autoridades policiais estavam a trabalhar com vista ao esclarecimento do crime.
Alvez Manhiça perdeu a vida na manhã do dia e as autoridades alfandegárias e policias procederam ao encerramento da “Operação Sossego 2014”, uma inciativa conjunta que visou garantir a ordem e tranquilidade pública, reduzir a sisnistralidade e garantir a flexibilidade na circulação de pessoas e bens durante a quadra festiva.
publicado por Jornal Urbano De Moçambique às 13:22
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Cidadão suicida-se no cem...

. Desmaios frequentes agita...

. “Regime da Frelimo será j...

. Monteiro arruma tabuleiro...

. Corrupção desvia pelo men...

. Frangoulis diz que Procur...

. Partido Frelimo afasta-se...

. Dhlakama anuncia para Abr...

. Nyusi reitera compromisso...

. A reacção da única filha ...

.arquivos

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds