Terça-feira, 12 de Novembro de 2013

Raptos e crise política sem impacto nos hotéis




Os hotéis moçambicanos ainda “não sentem oimpacto” da vaga de sequestros e tensão militar em Moçambique, mas a maior confederação patronal já alertou para a fuga de empresários face à situaçãopolítico-militar no país.

Em declarações ontem à “Lusa”, o vice-presidente da Associação de Hotéisdo Sul de Moçambique, Vasco Manhiça, disse que a agremiação “não tem dados” que relacionem uma eventual retracção de turistas com a onda de sequestrose tensão militar em Moçambique.

“Ainda não tive nenhuma reserva cancelada tendo como motivo os raptos”, exemplificou Vasco Manhiça, director-geral do Pestana em Moçambique, que, no entanto, considerou “prematuro” fazer qualquer avaliação.
publicado por Jornal Urbano De Moçambique às 08:55
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Cidadão suicida-se no cem...

. Desmaios frequentes agita...

. “Regime da Frelimo será j...

. Monteiro arruma tabuleiro...

. Corrupção desvia pelo men...

. Frangoulis diz que Procur...

. Partido Frelimo afasta-se...

. Dhlakama anuncia para Abr...

. Nyusi reitera compromisso...

. A reacção da única filha ...

.arquivos

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds