Terça-feira, 5 de Novembro de 2013

Apenas 25% dos reclusos têm acesso à assistência jurídica




Apenas 25 por cento, de um universo estimado em 15 mil reclusos existentes em Moçambique, têm acesso à assistência jurídica e judiciária, o que concorre para a superlotação dos estabelecimentos prisionais do país.

Por exemplo, o estabelecimento penitenciário provincial de Maputo, com uma capacidade para acolher 800 reclusos, alberga actualmente mais de dois mil reclusos.
Dados revelados esta quinta-feira em Maputo pelo director nacional de controlo penal, Samo Gonçalves, indicam ainda que, dos 15 mil reclusos existentes em todo o país, 33 por cento encontram-se em prisão preventiva.

Da população recluída em situação preventiva, cerca de 25 por cento já têm os prazos de prisão expirados.
Gonçalves disse que o Instituto de Patrocínio e Assistência Jurídica (IPAJ) e o Centro de Práticas Jurídicas (CPJ) da Faculdade de Direito, da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), são a esperança dos reclusos, porque lidam com assuntos de justiça aos economicamente carenciados.
publicado por Jornal Urbano De Moçambique às 13:43
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Cidadão suicida-se no cem...

. Desmaios frequentes agita...

. “Regime da Frelimo será j...

. Monteiro arruma tabuleiro...

. Corrupção desvia pelo men...

. Frangoulis diz que Procur...

. Partido Frelimo afasta-se...

. Dhlakama anuncia para Abr...

. Nyusi reitera compromisso...

. A reacção da única filha ...

.arquivos

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds