Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2013

Regiões Centro e Norte: Chuvas mantêm-se

As regiões centro e norte do país continuam sob chuvas que variam de moderado a fortes, cenário que se manterá até ao fim-de-semana, altura em que poderão dissipar-se por alguns dias.

As chuvas intensas acompanhadas de trovoadas registadas entre a manhã de domingo e de ontem em algumas regiões da Zambézia, Tete e parte sul de Nampula, ocorrem numa altura em que nesta última província já se contabilizam 30 óbitos devido ao cenário e outras causas associadas.
O Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) indica, porém, que no norte, os níveis de precipitação vão baixar a partir de hoje, mas em Tete, Zambézia e Manica prevê-se chuva moderada a forte, devendo oscilar entre 30 e 50 milímetros em 24 horas. Prevê ainda a ocorrência de chuvas em regime forte no litoral de Sofala e Inhambane. Nas restantes zonas do país espera-se uma pluviosidade fraca a moderada.

De forma geral, o INAM espera até ao próximo sábado a ocorrência de chuvas em regime forte, 100 a 250 milímetros em Tete, Manica, extremo norte de Sofala e na Zambézia.
As previsões apontam ainda, para o mesmo período, a queda de precipitação em moldes moderados em Nampula, Niassa, Cabo Delgado, bem como no norte de Inhambane e Gaza.

Sérgio Buque, chefe de Departamento de Análise e Previsão de Tempo no INAM, explicou que as chuvas que se registam no centro estão dentro do previsto, só que acabam tendo efeitos destruidores por caírem em solos já saturados pela precipitação, fora do comum, registada em Janeiro.
Há, por outro lado, a particularidade desta chuva cair intensamente em pouco tempo, o que concorre para alagamentos e inundações.
Todavia, ele mostrou-se preocupado com a província da Zambézia, onde tanto os rios como os solos estão no limite de absorção.
Por sua vez, a Direcção Nacional de Águas refere que devido às previsões meteorológicas bem como a situação hidrológica prevalecente, hoje e amanhã os níveis da bacia do Licungo poderão continuar a subir em Mocuba, Namacurra e Maganja da Costa.

O Zambeze vai oscilar, mas com tendência de subida, mantendo-se acima de alerta em Caia e Marromeu. Limpopo, em Sicacate, Incomáti, em Magude e Maputo, em Madubula poderão registar níveis oscilatórios, mas com sinais de descida.
Enquanto isso, o Instituto Nacional de Gestão das Calamidades (INGC) continuava ontem a assistir aos cerca de 189 mil afectados alojados nos 47 centros em funcionamento no sul e centro do país.
publicado por Jornal Urbano De Moçambique às 15:26
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Cidadão suicida-se no cem...

. Desmaios frequentes agita...

. “Regime da Frelimo será j...

. Monteiro arruma tabuleiro...

. Corrupção desvia pelo men...

. Frangoulis diz que Procur...

. Partido Frelimo afasta-se...

. Dhlakama anuncia para Abr...

. Nyusi reitera compromisso...

. A reacção da única filha ...

.arquivos

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds